CDB significa Certificado de Depósito Bancário. É um investimento de renda fixa através do qual o banco emissor capta dinheiro emprestado dos investidores, remunerando-os com juros. Posteriormente, o banco utiliza este dinheiro como fonte de crédito para quem necessita e está disposto a pagar juros.

Você pode perceber que o banco lucra cobrando juros maiores para quem necessita de dinheiro emprestado, enquanto oferece uma taxa de juros menor como remuneração para quem investe em CDB.

Essa diferença entre a taxa de juros cobrada e a taxa de juros oferecida é denominada spread bancário.

Assim, esta é uma das transações financeiras mais lucrativas feita pelos bancos. Eles pegam dinheiro emprestado de uns para emprestar para outros.

Para ilustrar, não haveria lógica nenhuma captar dinheiro de investidores oferecendo uma taxa qualquer e emprestando dinheiro a quem necessita cobrando a mesma taxa.

Diferentemente dos Títulos Públicos, conforme explico neste outro artigo, CDBs são Títulos Privados oferecidos em garantia da dívida que o banco possui com o investidor. São promessas de pagamento pelo dinheiro emprestado numa data futura com remuneração em juros. Da mesma forma que o Governo Federal, quando necessita de dinheiro para realizar obras de infra-estrutura, investimentos em educação ou em outras áreas emite Títulos Públicos, os bancos quando necessitam de dinheiro para emprestar à outras pessoas, emite Títulos Privados de Renda Fixa.

Assim como acontece quando o investidor adquire Títulos Públicos, o investidor que compra CDB, receberá o capital investido somado a juros compostos calculados entre a data da compra e a data de vencimento deste título privado.

Quanto poupar para investir em CDB?

Poupando em porquinho para CDB

Quando deixamos nosso dinheiro parado na conta corrente, perdemos poder de compra por causa da inflação. O Banco pode usar parte deste dinheiro para alimentar linhas de crédito. Ele faz empréstimos a quem necessita e recebe lucro por isso. Só que este lucro não é repassado para o cliente.  Digo isso, pois muitas pessoas mantém quantias significativas paradas em contas corrente. Esse dinheiro não fica lá parado à nossa disposição. Por isso é importante fazer planejamentos e um orçamento pessoal, conforme descrevo neste outro artigo.

É claro que devemos deixar uma quantia em conta corrente para uso no mês. Mas o ideal é investir uma parte logo ao receber nossa renda.

Você pode estabelecer um percentual de poupança por mês para investir em CDB.

O investimento mínimo normalmente exigido pelos Bancos para investimento em CDB é de R$5.000,00. Caso você não consiga acumular esta quantia em um mês de trabalho, poupe aos poucos em outra aplicação que ofereça liquidez. Assim, haverá possibilidade de resgate imediato do seu dinheiro quando desejado.

Quando você investe em CDB, há um acordo entre as partes (Banco e Investidor) a respeito da remuneração que será estabelecida pelo empréstimo do dinheiro. Neste acordo também constará a forma de remuneração e prazo determinado.

Ao final do prazo acordado, você receberá a quantia que investiu inicialmente, acrescida de juros compostos calculados entre a data do investimento e a data do resgate.

Classes ou tipos de CDB

Quanto à remuneração, o investimento em CDB divide-se em 3 classes: pré-fixados, pós-fixados ou indexados ao IPCA.

CDB pré- fixado

Esta classe de CDB é caracterizada por juros pré-fixados, ou seja, a remuneração em juros  é conhecida no momento em que o investidor adquire o produto junto ao Banco ou Corretora de Valores. Assim é fácil saber quanto seu dinheiro renderá até o prazo final do investimento. Esta remuneração é expressa em Taxa de juros anual.

Ao acompanhar sua posição, você perceberá que o valor é ajustado diariamente, pois a taxa anual acordada é dividida em dias úteis (252 dias por ano). Assim, em todos os dias úteis são incorporados juros compostos sobre o montante investido inicialmente. São os juros sobre juros trabalhando a seu favor e não contra você.

Você pode comparar um CDB pré-fixado com Títulos Públicos Pré-fixados (Tesouro pré-fixado – antiga LTN) para ter uma referência para boas taxas, pois apresentam comportamento similar. Para saber o que é Tesouro Pre-fixado, visite este artigo.

Por exemplo, enquanto escrevo este artigo, o Tesouro Prefixado 2019 é oferecido a uma taxa de 12,44%. Pode-se usar esta referência para saber se o CDB pré-fixado está ou não oferecendo uma taxa com boa rentabilidade.

O momento ideal para investir em CDB pré-fixado, assim como no caso dos Títulos Públicos pré-fixados é quando você acredita que a taxa básica de juros (SELIC) entrará ou já se encontra no início de um ciclo de quedas consecutivas. A taxa básica de juros funciona como um antídoto para a inflação. Se você acredita que a taxa Selic irá cair no início do investimento, os títulos pré-fixados serão mais rentáveis, pois você “travará” uma taxa específica enquanto a taxa Selic entra em queda.

CDB pós- fixado

CDBs pós fixados são os mais comumente oferecidos pelos bancos. Ao contrário dos CDBs pré-fixados, não possuem uma taxa de rentabilidade previamente estipulada. São indexados à Taxa DI diária, que é a principal referência para a correção diária da rentabilidade dos títulos privados pós-fixados. Como não se pode prever as futuras oscilações da Taxa DI, é impossível saber exatamente quanto renderá o seu dinheiro investido em um CDB Pós-fixado.

Assim, se você desejar fazer simulações para o seu CDB Pós fixado, terá que “chutar”uma taxa DI para o período do investimento.

No dia em que escrevo este artigo, a taxa DI está em 14,13% e a taxa Selic, 14,15%.

Imagine que sua corretora de valores está oferecendo um CDB pós-fixado a uma Taxa de 98% do CDI. Para saber a rentabilidade bruta é só multiplicar 14,13 x 0,98 = 13,85% ao ano.

Um CDB pós-fixado é mais indicado se você acredita que a taxa Selic irá aumentar ou manter-se em sucessivas altas pelo período do investimento.

Sabemos que para onde a Selic vai, a Taxa DI vai junto. Se após um período em alta iniciar um ciclo de queda da Selic, CDBs pós fixados continuarão rendendo por meio de juros compostos. Entretanto estas remunerações serão menores com as reduções destas taxas no futuro. Você não deixa de ganhar, mas passa a ganhar menos juros.

No nosso exemplo, se um ano após o investimento a Taxa DI passar para 12,75% , a rentabilidade bruta do investimento passará a ser de 12,75 x 0,98 = 12,50%.

Perceba que após a mudança da Taxa DI, a rentabilidade do CDB passou a ser menor.

Assim como acontece com os pré-fixados, os bancos transformam esta taxa de 12,50% do nosso exemplo acima para reajustar o investimento diariamente.

CDB Indexado ao IPCA

É a classe de CDB menos oferecida pelos bancos. Apesar disso, pode-se observar algumas oportunidades e alcançar uma boa rentabilidade. Tem funcionamento semelhante aos Títulos Públicos mistos, por ter em comum uma parte da rentabilidade ligada a uma taxa pré-fixada e outra atrelada ao IPCA.

É interessante para momentos em que se inicia um ciclo de altas (ou manutenção de altas) da Taxa Selic, ou seja, em momentos em que a inflação está subindo e quando já se encontra elevada. Assim o investidor poderá manter o seu poder de compra e garantir um “ganho real” no fim do investimento.

Apesar de possuir uma parte pré-fixada, não se sabe exatamente qual será a inflação medida pelo IPCA no futuro. Portanto, não se pode saber exatamente qual será o valor de resgate no vencimento do CDB indexado ao IPCA.

CDB e impostos

Leão representando IR x CDB

Ao contrário de outros títulos de renda fixa, como LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) e da Própria Caderneta de Poupança, é cobrado Imposto de Renda para investir em CDB.

Mas é importante deixar claro que mesmo pagando Imposto de Renda, este investimento tende a trazer retornos muito maiores que a Caderneta de Poupança, onde não é cobrado Imposto de Renda.

Mesmo com cobrança de IR, determinado CDB que possui uma boa taxa, pode ser mais rentável que algumas LCIs e LCAs.

Por exemplo, entre uma LCA que paga 83% do CDI (sem IR) e um CDB que paga 117% do CDI em prazo superior a 2 anos, o CDB ganhará em rentabilidade.

Como é cobrado IR, o investidor deverá ter conhecimento da tabela regressiva de cálculo de imposto de renda em mãos. Esta tabela é apresentada logo abaixo:

Tabela de alíquota de IR sobre CDB.

Com esta tabela, podemos perceber que quanto maior o prazo do investimento contratado, menor será a alíquota cobrada para investimento CDB.

Analisando a tabela acima, se você investir por 1o meses pagará 20 % de IR. Já se seu CDB tiver vencimento superior a 2 anos, você pagará somente 15% de Imposto de Renda.

Vale ressaltar que o IR é cobrado somente em cima dos seus rendimentos ganhos no período investido.

Portanto, não tenha medo do Leão. Você não precisará pagar carnê-leão. O próprio Banco ou Corretora de Valores se encarregará de descontar o IR da sua rentabilidade. Você só terá que declarar isso no ano seguinte.

Também é cobrado IOF (Imposto sobre operações financeiras), mas somente nos 30 primeiros dias de investimento. Após o trigésimo dia, o único imposto cobrado será o IR.

Riscos do CDB e Fundo Garantidor de Crédito

Cofre - Garantia FGC para CDB

Você deve estar pensando: e se o Banco emissor do CDB quebrar? Que garantia eu tenho e o que eu faço?

Realmente este risco ocorre, mas em artigos futuros você perceberá que há bancos que possuem maior probabilidade de quebrar do que outros.

Investimentos em CDB, LCI e LCA, assim como a Caderneta de Poupança são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito ou  simplesmente FGC.

Se você já investiu na Caderneta de Poupança, já correu riscos e já teve a proteção do FGC nas condições que descrevo a seguir.

O Fundo Garantidor de Crédito funciona como um seguro que cobre investimentos em valor de até R$250.000,00 por instituição bancária e por CPF.

Assim, não coloque todos os ovos na mesma cesta. Diversifique seus investimentos. Você pode até querer investir mais de R$250.000,00 em CDB, entretanto adquira estes ativos de bancos diferentes. Assim você diluirá os riscos.

Dicas quentes para investir em CDB

Geralmente grandes corretoras de valores oferecem bons CDBs. Você perceberá que quanto muitos Bancos pequenos oferecem maiores rentabilidades. Mas não precisa abrir conta nesses bancos. Selecione corretoras que oferecem CDBs emitidos por eles.

Estes bancos menores, oferecem maior rentabilidade por serem menos conhecidos do que grandes bancos. Também por não serem tão bem classificados quanto bancos maiores pelas Agências de Classificação de Risco (Fitch, Standard & Poors e Moody’s). Em outro artigo falarei mais sobre a relação entre risco e lucro ao investidor e notas de classificação de risco dos Bancos.

Você pode consultar os principais CDBs, além de outros títulos privados emitidos por Bancos menores e fazer simulações aqui. Ao clicar em CDB, você terá acesso a uma lista contendo informações necessárias. Serão apresentados Corretora, Banco Emissor, Vencimento, Taxa e valor mínimo de investimento para o ativo escolhido.

Então faça suas simulações e continue se dedicando ao aprendizado da Educação Financeira, assinando nossa Newsletter.

Deixe seu comentário e compartilhe este artigo com seus amigos, clicando nos botões das redes sociais a seguir.

Até a próxima!

 

Fábio Moraes

Um artigo sobre Educação Financeira

, , , ,

Sem comentários