Na primeira vez que li o livro “Segredos da mente milionária” um best-seller do empresário, escritor, treinador e investidor norte-americano T. Harv Eker, uma parte do livro causou em mim um grande “choque de realidade”. Trata-se do Arquivo mental de riqueza nº 13 (são 17 no total), que se chama: “As pessoas ricas focalizam o seu patrimônio líquido. As pessoas com menos conhecimento sobre dinheiro focalizam o seu rendimento mensal“.

De acordo com o autor, a medida real de riqueza é o patrimônio líquido e não os rendimentos. Ou seja, riqueza não é um alto salário ou pró-labore, mas sim o patrimônio líquido pessoal.

O patrimônio líquido é o valor de tudo que você possui. Sua casa, seu carro, seu negócio, suas ações, seus títulos públicos. Todos os seus bens, independente de ser um ativo ou passivo. Tudo que é seu de fato  subtraído do montante que você possui em empréstimos e financiamentos.

O cálculo é relativamente simples. Você soma o valor de todos os seus bens e  em seguida, subtrai tudo que você deve a bancos, governo, pessoas, empresas, etc…

Por meio do patrimônio líquido, você é capaz de medir a sua riqueza.  O patrimônio líquido demonstra um real valor do que você construiu ao longo da vida, pois se necessário, poderá vender esses bens e transformá-los em dinheiro. Se você acha que não é rico, faça as suas contas e você poderá se surpreender. Você poderá ter um patrimônio líquido modesto, mas positivo. Pode ter R$100.000,00; R$500.000,00 ou mesmo R$1.000.000,00.

Vou dar um exemplo. Se tudo que você possui é um imóvel que vale R$400.000,00, um carro que vale R$40.000,00 e R$60.000,00 em títulos públicos, desde que você não possua empréstimos e financiamentos ativos, o seu patrimônio líquido é de meio milhão de reais!

Rendimentos x Patrimônio líquido

É impressionante que algumas pessoas acreditam piamente que se “fulano” possui um alto salário ou pró-labore, ele é rico. A verdade é que não é bem assim.

Há um diferença enorme entre suas entradas de dinheiro mensais ou anuais e a sua riqueza. Sua riqueza está muito mais ligada à quantidade de dinheiro que você é capaz de conservar e multiplicar do que dos seus rendimentos de tempos em tempos. Quando falo em conservar e multiplicar, estou falando em poupar e investir com inteligência.

Para exemplificar, imagine um médico muito bem sucedido com salário de R$80.000,00 por mês e que possui um estilo de vida elevadíssimo. Ele possui 5 carros de luxo, sendo alguns financiados, 3 casas, sendo uma na cidade com custo de vida elevado e duas na praia, além de um iate. Esse médico pode ter uma despesa média mensal de R$70.000,00 ou mais.  Essa despesa pode ser de R$90.000,00 em determinado mês e ele estará quebrado.

Se você quiser se tonar rico, seu foco deve ser no patrimônio líquido e não somente nos rendimentos.

Os rendimentos são importantes mas não significam riqueza. É apenas um dos seus 4 pilares, como veremos a seguir.

Os 4 pilares de sustentação da riqueza

Vamos fazer uma analogia com os Pilares de uma torre para que esse conceito seja impregnado em sua mente.

Assim como toda a estrutura metálica da torre Eiffel em Paris é sustentada por 4 pilares ou colunas de aço, a riqueza é sustentada por quatro fatores ou pilares de enriquecimento. Observe a imagem abaixo:

Torre demonstrando com seus pilares os 4 fatores constituintes do patrimônio líquido

Perceba que, para a torre permanecer em equilíbrio, deve ter seus 4 pilares exercendo a função de sustentação. Esses pilares devem ter a mesma espessura, ou seja, um não pode ser mais fino do que o outro. Se não houvesse um destes pilares, a torre poderia tombar após um vendaval.

Da mesma forma que o projeto de engenharia da grande torre prevê o equilíbrio proporcionado pelos 4 pilares para sua perfeita sustentação,  o seu projeto de enriquecimento deverá prever o equilíbrio entre os 4 pilares da construção do patrimônio líquido.

Assim toda riqueza crescente é sustentada por:

  1. renda;
  2. poupança (ato de poupar);
  3. investimentos;
  4. simplificação.

Veremos cada um destes elementos a seguir:

Renda

Chamamos este elemento de renda ou rendimentos ativos. Este elemento é um produto direto do seu próprio trabalho. Perceba que é um item essencial e talvez o mais importante para a construção de riqueza, mas não é o único e é aí que está o problema. Muita gente acredita que basta ter um alto salário pra ser rico.

Quanto maior a renda, maior a sua capacidade de ficar rico se souber controlar o seu estilo de vida e investir bem seu dinheiro.

Se você quer ter mais renda, estude a possibilidade de empreender. Você pode ter uma atividade empreendedora em tempo integral ou até mesmo em meio período. Assim fica mais fácil ficar rico.

Você não precisa necessariamente sair do seu emprego atual hoje, mas é fundamental que tenha um negócio próprio, ou seja, uma fonte a mais de renda em que você seja o protagonista. Desenvolva suas habilidades e leia livros.

Um livro que gosto muito de recomendar para quem deseja obter mais renda é: “O negócio do Século XXI” de Robert Kiyosaki. Pretendo escrever um artigo futuramente sobre os assuntos relatados por este livro. Este livro transformou a minha vida e a forma de enxergar o mercado de trabalho. Tenho certeza de que se você ler este livro, seu sucesso e consequentemente a sua vida serão impactados positivamente.

Poupança

Poupança é a diferença entre o que você ganha e o que você gasta. Este saldo deverá ser sempre positivo, de preferência maior ou igual a 10% do total de sua renda.

Poupar é essencial. Se você ganhar uma fortuna por mês e gastar tudo, não ficará com nenhum tostão. Parece estranho, mas muitas pessoas se perdem na vida quando se trata de dinheiro. Possuem um recipiente mental incapaz de conservar o dinheiro ganho e fazem de tudo para “torrá-lo”.

Há também quem só poupa dinheiro e não investe. Infelizmente muitas pessoas fazem um sacrifício para poupar e guardam juntam dinheiro “em baixo do colchão” por medo e insegurança quanto a investimentos.

Não preciso nem falar dos riscos envolvidos com esse comportamento, não é?

A poupança deve andar lado a lado com os investimentos. Um não deve existir sem o outro, devem estar juntos como unha e carne.

Investimentos

Aqui é fundamental saber escolher o investimento que se enquadre com o seu perfil de investidor e com seus objetivos na vida. Só você é capaz de decidir o que é melhor para você.

Se o seu objetivo é comprar um imóvel daqui a 6 anos, deverá se proteger da inflação e buscar uma boa renda real a fim de fazer o investimento valer a pena.

Nesta etapa, “pagar-se primeiro” é essencial. Para saber como otimizar as suas economias, confira este artigo.

Você poderá escolher entre a renda fixa e a renda variável para isso. O ideal é manter um equilíbrio para isso, sabendo administrar o risco. Você deve montar uma estratégia de “alocação de ativos” onde deverá ter alguma reserva com liquidez para imprevistos, boa rentabilidade e menor risco. Com a alocação de ativos você reduz o risco. Como diz Warren Buffet: “é arriscado colocar todos os ovos na mesma cesta”.

Imagine investir todo seu dinheiro em ações, ou em Imóveis, ou em um CDB de um único banco? Nada seguro, não é verdade? Busque o melhor equilíbrio de acordo com seu perfil de investidor. Você poderá conhecer o seu perfil de investidor ao criar uma conta investimento em uma corretora de valores.

Simplificação

Chame como quiser: padrão de vida, padrão de consumo, estilo de vida, lifestyle, etc… Como diz Robert Kyiosaki, autor de “Pai Rico, Pai Pobre”, você deverá usar o dinheiro que é fruto do suor do seu trabalho para comprar ativos, principalmente. O luxo deve ser comprado pela renda passiva gerada pelos ativos.

Um erro muito comum que as pessoas cometem é o seguinte: a cada aumento de renda, proveniente de uma promoção no trabalho, por exemplo, aumenta-se o seu padrão de consumo. É um ciclo vicioso. Quanto mais se ganha, mais se gasta. Um comportamento inteligente é aumentar o percentual investido a cada aumento de renda, mantendo-se inalterado o estilo de vida por um tempo.

A simplificação caminha lado a lado com a poupança. Se você simplifica seu estilo de vida é um sinal de que é capaz de poupar. Se você desejar um estilo de vida acima de suas possibilidades, não será capaz de poupar nada.

Simples, como 2+2 =4. Assim, você deve adotar um estilo de vida em que não dependa muito do dinheiro. A diferença será a sua liberdade.

Ter visão de longo prazo é essencial para o sucesso financeiro.

Infelizmente, muitas pessoas não conseguem pensar além do próximo final de semana. Mas isso não deve ser motivo de desânimo. Todo mundo pode desenvolver o investidor que existe dentro de si. O conhecimento é a chave que abre as portas para a riqueza. Esse é o papel da educação financeira.

O que fazer?

Adote o hábito de conhecer o seu patrimônio líquido até o último centavo. Pegue uma folha de papel ou uma planilha em Excel e escreva no cabeçalho: patrimônio líquido. Some o valor de todos os seus bens: imóvel(is), carro(s), ações, títulos públicos, FGTS, jóias, móveis, instrumentos musicais, computador, tudo e subtraia de todas as suas dívidas, de tudo que você deve ao longo de tempos, como o saldo devedor do financiamento imobiliário e do carro, se possuir.

A diferença será a sua riqueza líquida.

A cada 90 dias revise o seu patrimônio liquido. Faça gráficos para acompanhar sua evolução. Estabeleça metas, revise os resultados e questione-se sobre os pontos em que poderia melhorar para alcançar seus objetivos. Reveja sempre os seu pilares de riqueza: renda, poupança, investimentos e simplificação. Com um propósito definido, fica mais fácil enriquecer.

É onde a atenção está que a energia flui e os resultados aparecem

           -T. Harv Eker –

Para adquirir o livro Os segredos da mente milionária“, clique aqui.

Para adquirir o livro “O negócio do século XXI”, clique aqui.

Ajude mais e mais pessoas a terem acesso à informação gratuita contida neste artigo e construírem suas riquezas. Para tanto, peço a sua colaboração. Compartilhe este artigo em suas redes sociais. Vamos juntos fazer deste um País de mais investidores e menos devedores. Para compartilhar, clique nos botões das redes sociais logo abaixo.

Ahh! Deixe seu comentário também.

Até logo.

Fábio Moraes

Um artigo sobre Educação Financeira

, , ,

6 comentários

  • Bruno Oliveira de Alcântara 29/09/2016 em 21:02

    Opa tem conteúdo novo na area! Obrigado por mais este artigo Fábio, já li e vou recomendar para os amigos, falando nisso, contei para outro amigo do seu blog e ele já vai seguir e ler para aplicar na sua vida as suas dicas financeiras.

  • Fábio Moraes Bruno Oliveira de Alcântara 29/09/2016 em 21:51

    Oi Bruno. Muito obrigado por compartilhar!! Boas vindas ao seu amigo. Espero que ele se beneficie do conhecimento. Um abraço.

  • Bruno Oliveira de Alcântara 29/09/2016 em 22:07

    Falando em livros. Você citou o livro sobre negócios para do século XXI, que mudou sua forma de ver os negócios e a possibilidade de empreender. Eu gosto muito do livro Lean Startup, ou Startup Enxuta, ele ajuda bastante a começar o entendimento sobre startups e ensina uma ótima metodologia para aplicar nos negócios. Aproveitando indico outro livro que é mais para alimentar o conhecimento e adicionar uma coragem para empreender, o livro: A startup de $100.

  • Fábio Moraes Bruno Oliveira de Alcântara 29/09/2016 em 22:10

    Excelente Bruno. Muito obrigado pelas dicas. Vou buscar a leitura destes livros. Já tomei nota!! Um grande abraço e obrigado.

  • Rodrigo Bua 30/09/2016 em 09:49

    Parabéns pelo artigo, Fabio! Muito legal! Abc

  • Fábio Moraes Rodrigo Bua 02/10/2016 em 10:12

    Olá, Rodrigo. Que bom que gostou. Muito obrigado!!!